IV Capítulo Provincial: Documento Programático

Convocados pelo Prior provincial, de 05 a 15 de novembro de 2018, os vogais se reuniram na Casa Santa Mônica de Toledo para a celebração do IV Capítulo provincial da Província Santa Rita de Cássia dos Agostinianos Descalços do Brasil, no ano em que se celebraram os 70 anos de sua presença neste país. Levando em conta, sobretudo os relatórios apresentados pelo Prior provincial frei Vilmar Potrick, pelos Priores de todas as comunidades e do Ecônomo provincial frei Darci Nelson Przyvara, a assembleia elaborou a pauta dos temas a serem abordados. Após ampla discussão de cada assunto, os vogais apresentaram decisões e indicações que orientarão a vida da Província no próximo triênio.

Identidade agostiniana descalça

A partir do Documento programático do LXXVIII Capítulo geral de 2017, foi salientada a importância do aprofundamento das nossas Constituições e Diretório, o estudo do Ritual e da história da Ordem e o conhecimento de nossos Veneráveis. Pois é imprescindível conhecer para amar e para juntos abraçar com alegria as causas comuns. A comunidade é formada por indivíduos que sempre precisam encontrar-se consigo mesmos, sentir-se bem e ter coragem de romper com seus medos e inseguranças, com a ajuda da comunidade e, se for o caso, a de um profissional. Os religiosos precisam constantemente buscar um equilíbrio entre os compromissos com a comunidade (momentos de oração, meditação, partilha, recreação), primeiro campo de apostolado (Const. 65), e as múltiplas atividades pastorais, evitando o ativismo e o individualismo.

Animação vocacional

Entre as ideias e propostas surgidas, merece ser destacado que o testemunho de vida do religioso é a melhor propaganda vocacional e que toda comunidade deve ser promotora vocacional. Os tempos atuais exigem novas formas de animação vocacional, o uso inteligente das redes sociais, sem abandonar as formas tradicionais das visitas às escolas e às famílias. As paróquias constituem um ambiente propício para o despertar de novas vocações, por isso é indispensável a
formação de uma equipe de pastoral vocacional em cada uma delas e que o pároco se sinta em primeira pessoa responsável pelas vocações. Julgou-se importante o papel de um animador vocacional que coordene uma equipe formada por um religioso de cada comunidade. Os vogais se mostraram favoráveis que no acolhimento das vocações adultas haja uma primeira experiência numa casa de acolhida destinada a essa finalidade.

Formação inicial e permanente

A assembleia reforçou a necessidade de concluir a elaboração do itinerário formativo para auxiliar as comunidades nesta tarefa, preservando uma unidade de propostas e objetivos. A respeito da sede para o estudo da Filosofia, os vogais, analisando a situação de insegurança, devido ao aumento da violência na cidade do Rio de Janeiro; as dificuldades de locomoção, que reduzem consideravelmente o tempo de estudo; a dificuldade de inserção nesse contexto pela jovem idade dos candidatos e o alto custo de vida na cidade do Rio de Janeiro e das mensalidades acadêmicas, aprovaram a mudança da sede da Filosofia do Rio de Janeiro para uma sede mais apropriada, única para a Província, confiando ao Conselho provincial tal tarefa. Considerando que a partir do último Capítulo provincial de 2015 os professos estudantes de Teologia da Província estão sendo encaminhados ordinariamente ao Studentato Internazionale Fra Luigi Chmel, em Roma, os vogais encarregaram o próximo Conselho provincial para que providencie uma sede de estudos de Teologia também na Província.

ASA e assuntos econômicos e jurídicos

Perante o Estado brasileiro a Província constitui a Associação Social Agostiniana, pessoa jurídica, que goza da Filantropia que proporciona a imunidade de alguns impostos, possibilitando-lhe exercer sua missão evangelizadora. Por isso, faz-se necessário que cada religioso e cada comunidade se esforce para cumprir todas as exigências previstas para mantê-la. O Capítulo reafirma aquilo que foi decidido no encontro anual de janeiro de 2018 quanto à contribuição das comunidades à Província, ou seja: As comunidades que têm casa com formandos continuam contribuindo com 10% e as outras com 15%; as paróquias contribuam com, pelo menos, 2 salários mínimos por ano. Lembra também que cada comunidade é responsável pelo GPS, pelo Plano de saúde dos religiosos e pelo Seguro de vida da Província. A respeito da ONG “Amigos de Santo Agostinho” – Projeto Luti de Ampére, a assembleia determina que se consulte o quanto antes a assistência jurídica para ter orientações certas sobre o que decidir.

Sede da Província

Os vogais visto que a Casa de Ourinhos da Comunidade Santo Tomás de Vilanova foi reestruturada para uma nova finalidade, transformando-se no Colégio Santo Agostinho, decidiram transferir a sede da Província para a Comunidade Santa Rita do Rio de Janeiro. Sugeriu-se que os responsáveis dos ofícios provinciais residam na casa sede da Província.

Reavaliação de algumas casas e estruturas

A assembleia, avaliando a situação do Seminário Nossa Senhora da Consolação de Nova Londrina, atualmente sem formandos, incentivou a continuar o trabalho vocacional, tendo em vista o envio dos candidatos às sedes de aspirantado, no momento oportuno. Encorajou também a acolhida de movimentos e pastorais que queiram realizar seus encontros e retiros na estrutura do seminário. A respeito da Missão em Salvador, os vogais, analisando a precária situação econômica da Paróquia Santa Mônica que no momento não deixa perspectivas de implantação de uma casa religiosa, decidem que, persistindo a mesma situação, se encerre a missão. Enquanto isso, se busquem melhores possibilidades de abertura de uma nova casa no Nordeste brasileiro.

Abertura de novas frentes de trabalho

A assembleia analisou a proposta de Dom Celso Antônio Marchiori, bispo da diocese de São José dos Pinhais, de confiar à Ordem a atual Capela Santa Rita (futura Paróquia) situada no município sede da diocese. Foi considerada uma proposta de grande valia para a vida da Província, podendo ser aproveitada também como sede de formação (noviciado, para os estudos de filosofia e teologia). Sua aceitação vai depender da distribuição que o Conselho provincial fará das forças
disponíveis.

Frei Angelo Carù

A assembleia manifestou seu reconhecimento e agradecimento aos religiosos e sacerdotes que, deixando a Itália, plantaram a semente da Ordem no Brasil, especialmente ao frei Angelo Carù, modelo para nós e para as futuras gerações, do qual se iniciou o processo de beatificação. Que todos se sintam envolvidos e responsáveis nesta bela e gratificante tarefa. Ao entregar aos religiosos da Província este documento programático, no encerramento dos festejos alusivos aos 70 anos de presença e atuação fecunda da Ordem em terras brasileiras, os vogais pedem ao Senhor, pela intercessão de Santa Rita, a bênção sobre cada um de seus membros e sobre todos os projetos e propósitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *